• slidebg1
  • slidebg2
  • slidebg3
  • slidebg4
  • slidebg5
  • slidebg6
  • slidebg7
  • slidebg8
  • slidebg9
  • slidebg10

Descrição

APRESENTAÇÃO DA EDIFICAÇÃO:

A pequena Igreja da Ordem Terceira do Carmo, comparada a Igreja e Convento do Carmo, compõe a paisagem do Pátio do Carmo. Um edifício recuado com um jardim frontal repleto de palmeiras imperiais, leva o visitante a um templo religioso rico em detalhes. Em meio a edificações modernas verticais, o conjunto das igrejas do Carmo marca a resistência da história aos obstáculos do passar dos anos, inclusive enquanto registro de permanência mesmo depois da Avenida Dantas Barreto.

BREVE HISTÓRICO:

A Ordem Terceira do Carmo foi fundada em 1695. Em 1737, apesar de ter sido inaugurada em 1710, a igreja foi consagrada a Santa Teresa. Supõe-se que a torre foi construída em momento posterior. Assim como seu frontão que não se adequa ao aspecto geral da fachada, que foi iniciado em 1797 e consluído em 1803. A igreja possui nave única e apresenta frontspício coroado por frontão em curvas e contracurvas com ornatos em estilo rococó, apoiado em cornijamento ondulante. O óculo localiza-se entre as janelas do coro e acima dele está localizado o emblema da irmandade. A torre sineira possui cunhais de pedra, arco pleno, coroamento em bulbo e pináculos em cornija reta.

PROTEÇÃO AO PATRIMÔNIO:

A Igreja é tombada pelo IPHAN (Instituto Histórico e Artístico Nacional) em nível nacional (processo nº 125-T-38, insc. nº81, livro de Belas Artes, folha 15, data 30/05/1938), e pela FUNDARPE (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco) em nível estadual (Livro Edifícios e Monumentos Isolados, folha 03 verso, nº37). A igreja da Ordem Terceira do Carmo está localizada no Pátio do Carmo, no bairro de Santo Antônio e inserido no sítio histórico municipal da ZEPH-10 (Zona Especial de Preservação Histórico-Cultural) em seu setor de preservação rigorosa (SIC) submetida as recomendações e diretrizes da Lei nº13957/79, decreto municipal nº11.693/80, além do Plano Diretor do Recife, Lei nº17511/08.

DADOS GERAIS[1]:

ANO DE CONSTRUÇÃO:

Século XVIII

AUTOR DO PROJETO:

----

ÁREA CONSTRUÍDA:

-----

TIPO DE USO:

Religioso

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA:

Av. Dantas Barreto, s/n, Santo Antônio, Recife, Pernambuco, CEP: 50010-360

LOCALIZAÇÃO CARTOGRÁFICA:

LONGITUDE : -34.880101

LATITUDE: -8.066361

Nº TOMBAMENTO IPHAN:

processo nº 125-T-38, insc. nº81, livro de Belas Artes, folha 15, data 30/05/1938

Nº TOMBAMENTO FUNDARPE:

Livro Edifícios e Monumentos Isolados, folha 03 verso, nº37

PRESERVAÇÃO MUNICIPAL:

ZEPH-10 / SPR


[1] Dados aproximados, retirado no site da Prefeitura do Recife. Disponível em: http://www.recife.pe.gov.br/ESIG/ Acessado em: 07/08/2018 as 20h52min.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

CARRAZZONI, Maria Elisa. GUIA DOS BENS TOMBADOS. Rio de Janeiro. 1980.

IPHAN. Processo de tombamento. 1938. Acessado na biblioteca da instituição.

RECIFE, Prefeitura do. Licenciamento Urbano. Zoneamento Urbano. Prefeitura do Recife. Disponível em http://www.recife.pe.gov.br/ESIG/ Acesso em 01 de agosto de 2018.

SILVA, Leonardo Dantas, 1945. PERNAMBUCO PRESERVADO: histórico dos bens tombados no estado de Pernambuco. 2ª edição. Recife